sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Sentidos Urbanos abre atividades do Encontro Ibero-americano de Lighting Design em Ouro Preto

Por Aleone Higidio
A Casa do Patrimônio de Ouro Preto-MG, em parceria com a AsBAI – Associação Brasileira de Arquitetos de Iluminação, realizou no dia 21 de setembro Roteiros Sensoriais durante o  Encontro Ibero-americano de Lighting Design - 2016. Os roteiros foram as primeiras atividades do evento. Cada participante recebeu, no credenciamento, um “kit sensorial”, com espelho, vendas e protetor auricular. Após a abertura do evento, que ocorreu às 16h30, os participantes receberam um comando, via aplicativo de celular, para seguir em direção a um ponto específico da cidade de onde partiriam os roteiros.
Para que todos pudessem vivenciar a cidade por uma perspectiva diferenciada, os quase 280 participantes foram divididos em 14 grupos de até 20 pessoas. Sete deles saíram dos locais de encontro às 17h15 e os outros sete às 18h45. Nesses pontos, dois mediadores, um do “Programa Sentidos Urbanos: patrimônio e cidadania” e um aluno colaborador do curso de Arquitetura da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), receberam os grupos com jogos de apresentação, atividades de observação e percepção da paisagem.
A articulação e planejamento dos sete novos Roteiros Sensoriais, que durou dois meses e foram criados especificamente para o Encontro, possibilitaram experiências diferenciadas a todos os participantes. Eles puderam, no primeiro dia da primavera, vivenciar o cotidiano da cidade de Ouro Preto, explorando seus cheiros, cores, sons, temperaturas e movimentos. Os horários escolhidos - um ao fim da tarde e, outro, início da noite - fizeram com que as experiências sensoriais contribuíssem ainda mais para o campo de atuação dos profissionais, em sua maioria, arquitetos de iluminação.
Ao final do EILD, foi feita, em três idiomas, a seguinte pergunta aos participantes: “o que você leva desta experiência?”. Paulo Torniziello, um dos que fizeram os Roteiros Sensoriais, afirmou que “a arquitetura é possível a ver e sentir de formas não convencionais”. Para ele, é preciso desenvolver nossos sentidos e essa prática se iniciou a com a experiência do roteiro.
Rita Perrella, outra participante do Encontro Ibero-americano de Lighting Design, acredita que a percepção visual não é limite para o ser humano e que a experiência abriu acesso a novos sentidos como olfato e audição. “Não ouvir nos remete a escutar o que normalmente não escutamos em tom alto nosso próprio passo. Nossa respiração e nosso olfato se abrem para sentir a natureza”, afirma. Para ela, a atividade proposta pelos mediadores de enxergar através do espelho a fez perceber o quanto de informação perdemos ao longo do dia quando não olhamos com a visão apurada para o próximo, paisagem ou edificação.
Vinícius Malaco, que também fez o Roteiro Sensorial durante o EILD, afirma que a experiência foi inesquecível por instigá-lo a perceber a cidade por outros sentidos. “Não consegui expressar minha gratidão e admiração pela experiência inesquecível e essencial com outros sentidos que toda a equipe proporcionou. Fico muito feliz em tê-los conhecido”, diz.

Para a coordenadora executiva do Sentidos Urbanos e historiadora responsável pela Casa do Patrimônio de Ouro Preto, Simone Monteiro Silvestre Fernandes, a participação do Sentidos Urbanos no Encontro “foi um desafio, pois saímos de nossa zona de conforto, para planejarmos essa atividade para um grupo tão grande; assustador, pois, para muitos dos participantes, esse seria o primeiro contato com a cidade, e um grande prazer em poder participar de um evento, cujo os roteiros deram o tom dos trabalhos realizados.” 

Fotos: Thamira Bastos

 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget